Pela sexta vez consecutiva, Giovani dos Santos vence Volta Internacional da Pampulha

Por O Tempo Publicada em 03/12/2017 灣 12:12:54 e atualizada em 03/12/2017 灣 12:12:13
Foto: Reprodu鈬o

A chuva que há dias assola Belo Horizonte, causando inclusive prejuízo em determinados pontos da cidade, deu uma trégua na manhã deste domingo para os 14 mil corredores que se aventuraram na 19ª edição da Volta Internacional da Pampulha. Pela sexta vez consecutiva, Giovani dos Santos, 36, foi o grande vencedor da prova, com o tempo 52m55seg, o terceiro melhor de sua carreira.
Embora satisfeito com o resultado, o mineiro buscava bater o recorde da competição, mas teve a performance comprometida, segundo ele, pela alta umidade. “O tempo, eu creio que não ajudou, porque está muito úmido, isso prejudica mais a gente do que o calor. Então, me hidratei bastante ontem porque sabia que hoje ia ter dificuldade. Infelizmente, não deu pra bater o recorde, mas tô feliz pelo hexa e vou continuar trabalhando para conquistar a São Silvestre”, disse o atleta, que foi seguido no pódio por Gilmar Silvestre Lopes, 28, que fez o tempo de 53m15seg, e por Maxwell Kortek Rotich, 19, que fez 53m34seg.
A medalha de ouro feminina ficou com a corredora queniana Leah Jerotich, 25, que fez o percurso em 1h02m46seg. Ela foi sucedida por outra queniana, Sharon Chilimo, 19, que finalizou com o tempo de 1h04m02seg. Joziane da Silva Cardoso, 32, foi a brasileira melhor colocada, em terceiro, com 1h04h38seg.
Contratempo
O técnico de Leah, Moacir Marconi revelou que a competidora quase não teve condições de largar, já que passou mal durante toda a noite anterior à prova. “Ela teve um problema estomacal, com diarreia a noite inteira. Me disse que quase não dormiu e contou que foi dez vezes ao banheiro. Mas, graças a Deus, isso se chama superação. Ela se superou e ganhou a prova”, comentou.
Leah disse que vem sofrendo com o problema de estômago há dois meses, mas que medicamentos estavam controlando a dor, até ontem à noite. “A dor tinha parado mas voltou ontem à noite. Na hora da prova, havia parado outra vez, mas depois do 15º quilômetro eu comecei a me sentir cansada e isso interferiu na minha velocidade. Esperava ter corrido mais rápido, mas estou feliz com o resultado”, disse.
Embora não tenha conseguido a primeira posição como em 2014, a paranaense Joziane da Silva ficou feliz de ter chegado ao pódio. “Podia ter sido um pouco melhor. Acho que foi mesmo a questão da preparação, já que tive pouco tempo para treinar devido a outras competições. E com a chegada do final do ano o corpo vai pedindo umas férias, né (risos). Mas estou feliz porque estou sempre ali no pódio e isso é para poucos”, afirmou.
Na categoria de cadeirantes, Welington Adriano Antunes de Souza Junio, 21, ficou com o primeiro lugar, com o tempo de 41m04seg. Ele foi seguido por Carlos Pierre Silva de Jesus, 27, e Vanessa Cristina de Souza, 28, com 43m11seg e 43m22seg, respectivamente.