Tapira comemora 64 anos de emancipa鈬o com grande festa

Por TapiraMG TV Publicada em 02/01/2018 灣 12:02:42 e atualizada em 02/01/2018 灣 12:01:09

O município de Tapiraí completou nesta segunda-feira (01), 64 anos de emancipação política. Em celebração ao aniversário da cidade, a prefeitura municipal, através da Secretaria de Turismo, organizou uma grande festa para toda a população.

A comemoração aconteceu na praça central com show da Banda Phásis. Um bolo foi servido aos presentes.

A prefeitura ainda promoveu com sucesso um show em Altolândia e outro em Tapiraí, em comemoração ao Réveillon.

 

Em sua rede social, o prefeito Leonardo parabenizou a todos, confira:

“Meus conterrâneos, hoje, a nossa querida e amada Tapiraí completa 64 anos de emancipação política e eu, como filho deste município e como seu representante maior, na condição de prefeito, cargo que ocupo, venho através desta parabenizar o nosso município. As minhas felicitações a todos os seus munícipes, a todas as famílias, todas as donas de casas, pais de família, trabalhadores, todos jovens – de ontem e de hoje, enfim, a todos que alguma forma também fizeram ou fazem parte dessa história de lutas e vitórias. O aniversário de Tapiraí é também o dia do aniversário de cada um de nós. É com essa expectativa e alegria que reafirmo o compromisso de continuar lutando para alcançar novas conquistas e assegurar à toda comunidade Tapiraiense o direito de desfrutar da saúde, educação, habitação, lazer e uma melhor qualidade de vida”. 
Parabéns, Tapiraienses, que Deus continue vos abençoando, a todos e suas famílias.

O secretário de Cultura Patrik Camargos, também destacou a importância do evento e parabenizou a todos.

“Primeiramente gostaria de agradecer ao prefeito Leonardo pela oportunidade e confiança.
Parabéns a todos que diariamente cumprem sua missão, contribuindo assim com o desenvolvimento do Município; buscando sempre novos projetos. Lugar de gente querida e batalhadora”, destacou o secretário.

 

História de Tapiraí

Tapiraí teve seu povoamento iniciado em 1798, quando Carlos José da Silva obteve uma sesmaria na região.

Anos depois, ali chegaram José Nunes de Carvalho. Manoel da Silva Brandão e, em 1801, Manoel Dias de Oliveira e Manoel de Freitas Souza, este último tendo recebido uma sesmaria na paragem conhecida como Perdição.

Sobre a origem deste nome, conta a história que o bandeira de Bartolomeu Bueno, o Anhangüera, esteve perdido em território mineiro antes de seguir para Goiás. Depois de alguns dias de marcha, desorientado e sem rumo nas matas, encontrou um rio e deu-lhe o nome de Perdição, devido à situação em que se encontrava, e o mesmo foi adotado em toda região de Tapiraí.

Em 1911, foi inaugurada a Estação Ferroviária de Perdição, pertencente à antiga estrada de ferro Oeste de Minas. Aos poucos foram surgindo casas e casas ao seu redor, formando-se um povoado com o mesmo nome. Posteriormente foi alterado para Tapiraí.

 

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Tapiraí pela Lei Estadual nº 336, de 27-12-1948, subordinado ao município de Bambuí.

Elevado à categoria de município com o nome de Tapiraí pela Lei Estadual nº 1039, de 12-12-1953, desmembrada de Bambuí. Instalado em 01-01-1954.

Em divisão territorial datada de 1963, o município é constituído de 02 distritos: Tapiraí e Altolândia.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

 

Processo de Povoamento de Tapiraí

Iniciando o século, a região recebeu a estrada de ferro Goyana, como consta no “Anuário de Minas” de 1.911: “A primeira estrada de ferro Goyana, já do outro lado do São Francisco, foi a Porto Real (atualmente Iguatama), depois Bambuí e em seguida a Perdição (hoje Tapiraí), em zona futurosíssima e operosa com grande cultura de cereais e criação de gado”.

O progresso chega à atual Tapiraí com desmatamento das matas, para a construção da estrada de ferro. A situação deste começou a mudar a partir de 1.911 com a chegada da Estrada de Ferro Oeste de Minas e inauguração da estação ferroviária com o mesmo nome: Perdição, posteriormente o nome da estação e do lugar foi trocado para “Estação de Tapiraí”. Ao contrário de muitas vilas que se formaram, geralmente, no entorno da igreja, a estação também atraiu moradores que se aglomeraram, construindo suas casas em volta desta, transformando o pequeno povoado em arraial.

 

Inaugurada a estação de Victor-Tamm, próxima a estação de Tapiraí, um povoado se formou e uma charquearia foi instalada, de propriedade do senhor José Pinto de Miranda. A Charqueada “Vitória”, empregava a população local e abatiam muitos bois diariamente. E cuja produção de carne industrializada era destinada exclusivamente à exportação. A estrada de ferro contribuiu para o desenvolvimento, estimulando o nascimento de vários povoados na região e facilitando a comunicação.

Nome da Cidade: A origem pode ter duas explicações, todas elas ligadas aos rios que banham nossa região, uma fala que o termo “tapir = anta”, originando o “Rio das antas”; outra explicação é a que o termo: "Tapiraí" é um termo com origem na língua tupi: significa "rio das andorinhas", através da junção dos termos taperá (andorinha) e “y” (rio).