Centro-Oeste de Minas

'Minas Consciente': macrorregião Oeste segue na Onda Amarela e novas regras para cirurgias eletivas são apresentadas

Foto: Santa Casa de São Carlos/Divulgação

A situação da macrorregião Oeste no "Minas Consciente" se manteve nesta semana, conforme decisão do Comitê Extraordinário Covid-19 divulgada após reunião nesta quinta-feira (22). Por isso, os municípios do Centro-Oeste permanecem por mais uma semana na Onda Amarela. Com a queda no número de óbitos e na redução da espera por leitos, o Comitê definiu novas regras para as cirurgias eletivas em hospitais privados e públicos.

O secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti, afirmou que não há mais pressão por vagas nas macrorregiões. A ocupação dos leitos de UTI exclusivos Covid-19 está em torno de 58% e houve queda de 26% nas solicitações de internações no estado. Atualmente, 64 pacientes aguardam vaga para UTI Covid em Minas, enquanto na semana passada eram 70. No início de junho, esse número chegou a ser quase quatro vezes maior.

 

“Essa espera está caindo semanalmente e é o cenário mais positivo, com pressão muito baixa por leitos e redução na ocupação”, ressaltou.

 

O número de óbitos registrados em decorrência da doença também caiu na última semana, segundo o governo estadual.

Além da macrorregião Oeste, estão na Onda Amarela as macrorregiões Centro, Centro-Sul, Jequitinhonha, Leste, Noroeste, Norte, Sudeste, Sul e Triângulo do Norte.

O número de cidades com menos de 30 mil habitantes, que poderão progredir de onda, independentemente da situação em que se encontra a macro ou a microrregião, é de 95 municípios nesta semana. Essas cidades registraram menos de 50 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

100%

Atualização do 'Minas Consciente' em 22 de julho — Foto: Imprensa MG/Divulgação

 

Vacinação

 

Nesta semana foram aplicadas 9 milhões de primeiras doses no Estado, segundo o Painel Vacinômetro.

“Não se deve escolher vacina ou acreditar em fake news .Todas as nossas análises são feitas com base nas vacinas que estão disponíveis e mostram que todas elas são eficazes. Esse é o motivo para estarmos chegando a melhores patamares da situação da pandemia”, afirmou Fábio Baccheretti.

 

Cirurgias eletivas

 

As novas regras de cirurgias eletivas foram apresentadas durante a reunião do Comitê desta quinta. Uma resolução da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) será publicada sobre o tema, assim como a Deliberação do Comitê Extraordinário Covid será alterada.

Agora, hospitais privados, ou seja, que não recebem recursos públicos, podem retomar as cirurgias eletivas e assim reduzir o passivo existente e a espera dos pacientes. Na rede do Sistema Único de Saúde (SUS), a retomada poderá ocorrer no momento em que se comprovar estoque de pelo menos 30 dias do chamado “kit intubação”.

Macrorregiões em cenário desfavorável seguem impedidas de realizar esse tipo de cirurgia.

O Estado explicou que a suspensão das eletivas foi determinada devido à pressão por leitos de UTI e pelo baixo estoque do “kit intubação” em todo o país, com a consequente dificuldade de acesso a esses medicamentos. Segundo Fábio Baccheretti, a preocupação atual é em relação aos atrasos que a pandemia gerou neste tipo de cirurgia.

 

Mudanças no plano

 

Na última semana, o Estado anunciou mudanças no "Minas Consciente", principalmente no distanciamento e capacidade máxima de lotação dos espaços.

“Estamos em uma nova fase, com vacinas chegando de forma consistente e melhora nos indicadores. Diante disso, vimos a necessidade de criar regras para os grandes eventos, já que eles não eram considerados de forma separada no ‘Minas Consciente’. Fizemos uma ampla discussão e a equipe técnica buscou exemplos em outros países que já passaram por uma fase de vacinação semelhante à nossa [50% com primeira dose e segunda dose crescendo, chegando próximo de 15%] para definir as regras”, explicou o secretário da SES-MG na última semana.

 

Regras mínimas

 

  • Entrada do evento: aferição de temperatura, controle no fluxo de acesso e acesso com hora marcada;
  • Distanciamento de 1,5 metro: a ser aplicado em filas, entre cadeiras/assentos e também no cálculo da capacidade;
  • Apresentação de documento de imunização presumida: cartão de vacinação que comprove imunização completa superior ou igual a 15 dias ou exame PCR ou laudo médico com positividade para Covid-19 (entre 15 e 90 dias).

 

É obrigatório comunicar as regras aos participantes e facilitar a devolução do ingresso.

 

Regras por onda

 

Vermelha

 

  • Lotação máxima de 50 pessoas ou 10% da capacidade em ambientes fechados; 30% da capacidade em ambientes ao ar livre;
  • Duração máxima de 5 horas;
  • Horário permitido: entre 8h e 21h.

 

Amarela

 

  • Lotação máxima de 300 pessoas ou 30% da capacidade em ambientes fechados; 600 pessoas ou 50% da capacidade em ambientes ao ar livre;
  • Duração máxima de 6 horas;
  • Horário permitido: entre 7h e 23h.

 

Verde

 

  • Lotação máxima de 50% da capacidade em ambientes fechados; sem limite de lotação em ambientes ao ar livre;
  • Duração máxima de 12 horas;
  • Sem restrição de horário.

 

 

Cirurgias eletivas

 

A realização de cirurgias eletivas também foi atualizada pelo Comitê. Em situação de cenário desfavorável assistencial e epidemiológico os procedimentos ficam suspensos. Exceto para pacientes que precisam de transplantes, cirurgias cardiovasculares, oncológicas, neurológicas e nefrológicas. Atualmente, nenhuma região do estado se encontra nessa condição.

Onda Vermelha: quando há aumento do risco de morte ou complicações, as eletivas podem ser feitas mesmo em cenário desfavorável assistencial e epidemiológico;

Onda Amarela: inclui todos os procedimentos permitidos na Onda Vermelha, além de cirurgias hospitalares que não demandem intubação ou sedação profunda;

Onda Verde: todo e qualquer tipo de eletiva pode ser realizado, mas caberá ao gestor local e da unidade de atendimento analisar a disponibilidade de leitos, equipes, equipamentos e insumos.

Compartilhe
Participe do nosso grupo no whatsapp!
Comentários
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Tapiraímg TV

Parceiros

>