O município de Arcos começou nesta segunda-feira (18) o terceiro e último Levantamento de Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de 2021. A pesquisa segue até o dia 22 de outubro.

O trabalho da Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Centro de Controle da Vigilância Ambiental e Endemias, será executado por 30 Agentes de Combate a Endemias (ACEs) na vistoria de 1.093 imóveis.

O LIRAa é uma metodologia que ajuda a mapear os locais com altos índices de infestação do mosquito Aedes aegypti e, consequentemente, alerta sobre os possíveis pontos de surto de arboviroses como a a dengue.

 

Levantamentos anteriores

 

A Secretaria Municipal de Saúde já realizou o levantamento duas vezes este ano. Os dois primeiros foram em janeiro e março. No levantamento de janeiro, o índice de infestação no município foi de 7,1%, enquanto em abril subiu para 10,2%.

Para o coordenador do Centro de Controle da Vigilância Ambiental-Endemias, Tiago Carvalho, o trabalho será importante para traçar as ações a serem desenvolvidas por região.

 

"Temos um Plano de Contingência das Arboviroses que já vem sendo executado desde janeiro. Este LIRAa tecnicamente é o mais importante, pois mostrará o cenário que podemos enfrentar neste final e início de ano. Para isso, é importante que a população receba os agentes de endemias. A excelência do trabalho já começa ao recepcionar o agente. Precisamos da colaboração da população para termos o diagnóstico real da situação epidemiológica da nossa cidade”, destacou.

 

 

Risco de circulação viral

 

Segundo o supervisor técnico Geraldo Moura, além de identificar áreas predominantes, será possível também avaliar o risco de circulação viral. “Este trabalho irá mostrar as áreas com maior infestação vetorial e os criadouros predominantes, assim poderemos direcionar as atividades de acordo com a realidade de cada região”, destacou.

Para a realização do LIRAa, o município é dividido em três etapas, sendo trabalhados 432 imóveis na primeira etapa; 429 imóveis na etapa dois; e 232 imóveis no etapa três.

 

"Durante os trabalhos do LIRAa, os agentes visitam as casas sorteadas por meio da plataforma do Programa do Ministério da Saúde e realizam a busca por larvas, às quais são encaminhadas ao laboratório para identificação", disse.

 

A secretária municipal de Saúde Adalgisa Borges, reforçou a necessidade de combate e prevenção ao vetor Aedes aegypti.

 

“A forma mais eficiente e econômica para conter o mosquito da dengue é não deixar água parada. Se tirarmos 10 minutos por semana para verificar o nosso domicilio é o suficiente para cumprirmos o nosso dever de cidadãos conscientes”, explicou.

 

A Prefeitura esclareceu que a divulgação do resultado do LIRAa será feita assim que os trabalhos forem concluídos.