Inusitado

Policial dirige na contramão, bate em viatura da PM e diz não saber onde está

Foto: Reprodução

Uma policial civil de 43 anos acabou na delegacia na madrugada desta segunda-feira (10) depois de ser flagrada dirigindo na contramão, bater em uma viatura da Polícia Militar e, ao conversar com os policiais, demonstrar estar embriagada dizendo não saber nem mesmo onde estava.

O caso aconteceu no Bairro Morada do Ouro, em Cuiabá, por volta de 1 hora da manhã.

Conforme o boletim de ocorrência, a Polícia Militar foi acionada com a informação de que um VW Gol estava trafegando na contramão na Avenida Historiador Rubens de Mendonça, em frente ao Ibama.

Uma equipe da PM foi até o local, mas, a princípio, não encontrou o veículo denunciado. Os policiais continuaram em rondas pela região e encontraram o VW Gol na Rua Djalma Ferreira de Souza, no Bairro Morada do Ouro, e deram sinais para que a motorista parasse.

A motorista, no entanto, ignorou a ordem dos policiais e continuou andando. Os militares, então, emparelharam a viatura com o VW Gol e mandaram que a mulher parasse. Porém, quando a equipe diminuiu a velocidade, ela bateu na traseira do carro da PM, danificando o veículo.

Os policiais foram até a motorista e ela logo já começou a falar que conhecia seus direitos e deveres e se identificou como policial civil.

Ela, no entanto, conforme o boletim de ocorrência, “informou que não sabia onde estava e tampouco o motivo pelo qual colidiu na viatura”. Com isso, os policiais perceberam que ela apresentava sinais de embriaguez e pediram que ela fizesse o teste de bafômetro, o que ela se recusou a fazer.

Foi confeccionado o auto de constatação de embriaguez, devido ao estado que a mulher apresentava, o oficial de área foi acionado e a policial civil foi encaminhada para a Central de Flagrantes de Cuiabá, onde o caso foi registrado como “conduzir veículo automotor sob a influência de álcool ou substância psicoativa” e “dano”.

Comentários

ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Tapiraímg TV