Minas Gerais

Homem usa cartaz para pedir emprego em Minas Gerais

Foto: Reprodução

Quem passa pelo Centro de Belo Horizonte, com olhares atentos, certamente já viu Elbert nas proximidades da igreja São José, na avenida Afonso Pena. Com um cartaz, o homem pede uma oportunidade de emprego. A rotina já se repete há quase um ano e ganhou repercussão nas redes sociais.

Para sobreviver, Elbert trabalha como autônomo vendendo carregador e acessórios para celular. Ao BHAZ, ele conta que ir para o Centro pedir emprego foi a “única opção encontrada”. “Já tem seis anos que estou desempregado. Entrego currículos em empresas, mas nada. Até participo de entrevistas, mas a ligação falando que fui selecionado ainda não recebi. Só no ano passado foram 12 entrevistas”, relembra.

Elberth sabe que, assim como ele, outros 12,5 milhões de brasileiros estão na mesma situação, conforme os dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Apesar disso, ele segue lutando e contando com a ajuda das pessoas para conseguir o sonhado emprego. “Estou aqui todos os dias e muita gente pede o meu currículo para levar com o objetivo de ajudar. Recebo muitas palavras de esperanças”, disse.

Uma das pessoas que ajudou Elbert foi Luciana Mascarenhas. Ela passava pelo Centro, na tarde dessa quinta-feira (9), momento em que chovia bastante na capital, mas acabou sendo atraída pela humildade do rapaz.

A história do homem a deixou emocionada e nas redes sociais ela contou um pouco sobre ele. “Cara simpático, tímido e que humildemente está precisado de ajuda… Elbert está desempregado e precisa do que tiverem para oferecer”, diz em alguns trechos.

Para conseguir emprego Elberth tem buscado qualificação. Prova disso é a volta para a sala de aula. “Sei que como não tenho estudo fica mais complicado. Mas voltei a estudar e neste ano vou terminar o segundo grau. A minha esperança é que 2020 seja de conquistas pra todos nós”.

Elberth tem experiência como auxiliar de cozinha e serviços gerais e já trabalhou como zelador. Além de ter cursos de recepcionista, porteiro e informática básica. Quem puder ajudá-lo consegue falar com ele pelo (31) 9 7336-6747.

Ver essa foto no Instagram

Difícil começar a escrever esse post. Alerta de textão e desabafo. . Hoje, fim do dia, depois de uma longa reunião e uma chuva que foi de assustar, eu, em plena Afonso pena (centro de BH) corria (fugindo do resto de chuva) pra tentar resolver mil coisas e só mais tarde ir pra casa. Atravessei a rua apressada, VI esse rapaz... mas não O ENXERGUEI. Como, infelizmente, fazemos milhares de vezes. Quando parei no próximo quarteirão com o sinal de pedestre fechado, eu paralisei. De imediato não entendi mto bem o porquê. Em seguida tive uma vontade enorme de voltar. Queria ajudar de alguma forma, nem que fosse com um abraço. Na hora pensei: "que isso, tô doida! Tô com tempo contado, vou seguir." Dei mais dois passos pra frente e me veio uma segunda paralisação total. Ali, nos breves segundos, me lembrei de uma roda de conversa que há dois dias tive com uma grande mulher (@adrianamelo_melo). Onde ela, superintendente do local que eu trabalho, se propôs e se disponibilizou a falar, de igual pra igual, sobre Cortesia A TODOS os funcionários, de uma forma brilhante. Entre um sorriso e uma brincadeira, ela deu exemplos que doíam na alma. E disse "difícil ser cortês né? É tão mais fácil ignorar e tocar nossa vida.". Pois bem... Dri, suas palavras me tocaram profundamente. E eu já sabia disso quando vc finalizou o encontro. Mas hj, tive certeza absoluta. Paralisei no meio da rua e só lembrava das suas palavras. . Dei meia volta, ainda debaixo dos respingos de chuva, do caos do centro da cidade as 17h... Me apresentei, apertei sua mão e eis aqui: Esse é o Elbert. Cara simpático, tímido e que humildemente está precisando de ajuda. Ele não me pediu NADA, em nenhum momento. Sorriu timidamente quando eu voltei e estendi minha mão. Perguntei seu nome, o que ele sabia fazer e o que ele queria fazer. Elbert está desempregado e precisa do que tiverem para oferecer. Ele está passando necessidade. Mesmo! E pela sua dificuldade em olhar olho no olho eu pude ver o quão difícil era estar naquela posição. Elbert tem experiência em restaurantes, supermercados e tem curso de porteiro. (CONTINUA AQUI EMBAIXO 👇) TA ACABANDO. JURO!

Uma publicação compartilhada por Luciana Mascarenhas (@luhmascarenhas) em

Compartilhe
Tags:
Participe do nosso grupo no whatsapp!
Comentários
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Tapiraímg TV

Parceiros