Minas Gerais

Homem estupra criança após almoço em família e quase é linchado em MG

Foto: Reprodução

Um homem de 39 anos foi preso nesse domingo (2) suspeito de estuprar uma menina de 12 anos na região Leste de Belo Horizonte após um almoço em família. Ele chegou a receber a ajuda da própria mãe para fugir da polícia, mas acabou sendo detido e, por pouco, não foi linchado por vizinhos revoltados com o caso.

O crime ocorreu logo após um almoço em família: foi realizada uma feijoada no bairro Alto Vera Cruz, ontem, na casa da avó da irmã mais velha da vítima. A menina foi convidada, juntamente com a irmã, e, ao ajudar na limpeza da residência após o almoço, pediu para descansar.

Desespero

A senhora responsável pela casa disse à menina que ela poderia descansar em um quarto no andar inferior da residência. Logo após se deitar, a garota de 12 anos percebeu que estava sendo vigiada pelo tio da irmã mais velha, de 39 anos. Na sequência, ele entrou no cômodo e sentou na cama – e aí começaram os abusos sexuais.

O homem avançou para cima da criança e, em meio à imposição física, abusou sexualmente da vítima. Ele impediu que a menina saísse do quarto em pelo menos duas oportunidades, conforme o relato da criança às autoridades: ficou em frente à porta e empurrou a menina na cama, quando ela tentava fugir.

Socorro

Em um momento de vacilo do suspeito, a criança conseguiu sair do quarto e, mesmo sendo ameaçada de morte pelo homem, chamou a irmã mais velha. As duas saíram da residência e a mais nova passou a chorar muito na rua, onde relatou o crime. Parentes das duas foram acionados e buscaram as jovens – a irmã mais velha tem 18 anos.

Assim que a polícia foi acionada, se deslocou para a residência do homem. Ao chegar no endereço, a polícia foi impedida de entrar pela mãe do suspeito. A idosa de 67 anos chegou a dizer várias vezes para que o filho fugisse, segundo a PM. A fuga, no entanto, foi evitada pelos policiais, que cercaram a casa.

Ameaça policiais

Mesmo com os policiais já dentro da casa, o suspeito ainda resistiu à prisão. Ele pegou uma faca e passou a ameaçar os militares, conforme registro da PM. Neste momento, um dos policiais disparou um tiro de borracha na perna do homem, que caiu, mas continuou tentou acertar as autoridades com socos e chutes.

Os militares usaram técnicas para render o homem, que acabou sendo algemado, levado ao hospital João 23 por causa de ferimentos causados pela embate com os policiais e, na sequência, encaminhado à delegacia. A mãe dele também foi detida por desobediência.

Estupro de vulnerável

O crime de estupro de vulnerável está previsto no art. 217A do Código Penal e se trata do estupro praticado contra pessoas que não têm discernimento ou não conseguem oferecer resistência – como em casos de embriaguez, enfermidade ou ainda se a vítima estiver dormindo.

Além disso, qualquer prática de ato libidinoso ou sexo com menores de 14 anos de idade também se configura como estupro de vulnerável – ainda que dentro de um relacionamento ou que a vítima diga que houve consentimento. Segundo a legislação, essa caracterização ocorre por se considerar que, até os 14 anos, um indivíduo ainda não desenvolveu maturidade suficientemente adequada para consentir.

A pena deste crime é prisão de oito a 15 anos.

Compartilhe
Participe do nosso grupo no whatsapp!
Comentários
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Tapiraímg TV

Parceiros

>