Um médico anestesista foi preso em flagrante por estuprar uma paciente durante um parto cesariana. O crime ocorreu na madrugada desta segunda-feira (11), no Hospital da Mulher Heloneida Studart, no bairro Vilar dos Teles, em São João de Meriti, no Rio de Janeiro. A Polícia Civil informa que investiga o caso com o objetivo de apurar “outras possíveis condutas criminosas do médico”. Já o Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro) suspendeu imediatamente o médico e instaurou processo que pode resultar na cassação profissional dele (veja detalhes abaixo).

Giovanni Quintella Bezerra foi filmado por enfermeiras e técnicas da unidade de saúde durante um parto em que participava. A equipe médica vinha desconfiando do comportamento do homem, como, por exemplo, em relação à quantidade de sedativo aplicado nas gestantes.

De acordo com as autoridades, as funcionárias relataram que o médico já tinha participado de outras cirurgias em salas onde era inviável fazer gravações. Na terceira operação do dia, elas conseguiram trocar o local de última hora e esconderam o telefone para confirmar a conduta do médico.

Em vídeo disponibilizado ao g1 pela polícia, o suspeito aparece colocando o órgão genital na boca de uma paciente, deitada na mesa de cirurgia. A prisão foi feita pela delegada Bárbara Lomba Bueno, responsável pela Delegacia de Atendimento à Mulher de São João de Meriti.

Estupro de vulnerável

Em nota enviada ao BHAZ, o Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro) informa que abriu um procedimento para a suspensão imediata do médico. Além disso, o conselho instaurou um processo ético-profissional que poderá cassar Giovanni Bezerra (leia a nota abaixo na íntegra).

Segundo a Polícia Civil do Rio, o homem responderá por estupro de vulnerável, já que a vítima estava desacordada. As autoridades ainda apreenderam frascos do sedativo usado e devem seguir as investigações para “apurar outras possíveis condutas criminosas do médico”.

O BHAZ entrou em contato com a Fundação Saúde do Rio de Janeiro, responsável pelo Hospital da Mulher, e aguarda retorno com um posicionamento. Assim que a instituição responder à demanda, esta matéria será atualizada.

Nota da Polícia Civil na íntegra

“Policiais civis da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, prenderam em flagrante, na noite deste domingo (10/07), um médico anestesista pelo crime de estupro de vulnerável. O crime foi cometido enquanto a vítima dava à luz no Hospital da Mulher Heloneida Studart, naquela cidade.

Segundo os agentes, a equipe foi acionada para verificar a informação de que o anestesista havia sedado uma paciente em cirurgia de cesariana e, enquanto a mesma estava desacordada, teria passado sua genitália no rosto e na boca da mulher.

Imediatamente, os policiais foram à unidade hospitalar e apuraram que, desconfiadas da postura do médico, as enfermeiras resolveram colocar um aparelho de telefone celular para registrar o que o ele fazia durante as cirurgias.

Frascos do sedativo utilizado foram apreendidos e funcionários do hospital prestaram depoimento na delegacia. As investigações seguem para apurar outras possíveis condutas criminosas do médico.”

Nota do Cremerj na íntegra

“O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) informa que recebeu as denúncias e abriu imediatamente um procedimento cautelar para suspensão imediata do médico, devido à gravidade do caso. Também foi instaurado processo ético-profissional que poderá resultar na cassação do médico.”