Brasileirão

Virou passeio: Atlético perde 3ª seguida no Independência com gols de prodígio do Vasco

O chutaço do volante Yago foi uma peça de ilusão na noite deste domingo no Independência. O Atlético, mesclando alguns titulares, conseguiu a proeza de perder a terceira partida seguida no Independência, nesta 16ª rodada do Brasileirão. Com Fred lesionado, dois suspensos, o Galo levou 2 a 1 para o Vasco da Gama. 

Comandado por um técnico interino - Diogo Giacomini - o Galo saiu atrás do placar numa falha da defesa. O sub-17 Paulinho se tornou o jogador mais jovem da história do Vasco a marcar um gol no Brasileirão. Superou nada mais, nada menos que Roberto Dinamite. Ele ainda faria o gol da vitória, de rara beleza. Quem não consegue superar nada mesmo é o próprio Atlético. Crise que pode aumentar na quarta-feira, diante do Botafogo, pela decisão das quartas de final da Copa do Brasil. 

GOL E GOLAÇO

Depois de dar o primeiro ataque do jogo utilizando a mesma tática antiga (cruzamento), o Atlético passou a sofrer da velocidade de um rejuvenescido Vasco. Nada de Nenê ou Luis Fabiano. A cruz de malta era carregada pela vitalidade do sub-17 Paulinho, do jovem Vital e do sub-20 Paulo Vitor, o centroavante. 

Com uma zaga igualmente inexperiente diante da titular, o Galo foi atacado algumas vezes pelo meio e, sem dar o devido combate, saiu atrás do placar logo aos 13 minutos do primeiro tempo. Escudero, ex-Galo, conduziu a bola na horizontal e enfiou para Paulinho, nas costas de Alex Silva. O juvenil vascaíno saiu na cara de Giovanni e fez o gol.

Antes, o próprio goleiro que substituía o suspenso Victor, causou susto na torcida ao dar um passe ruim para Jesiel. O zagueiro perdeu a bola e Alex Silva fez falta em Paulo Victor. Bruno Paulista, que chegou a negociar com o Atlético, chutou forte, com perigo, mas por cima. 

A torcida do Galo, atrás novamente no placar, aumentou a apreensão diante de mais um resultado desfavorável. Com uma atuação ruim, limitada, sem achar a bola, o Atlético ressurgiu na luz de Yago. O volante fez o primeiro gol como profissiona para empatar a partida. E foi um golaço. De longe, arriscou um chutaço que bateu no travessão de Martin Silva e quicou dentro, a arbitragem demorou a validar, mas o árbitro assistente que fica atrás da meta deu o sinal verde. 

Assim, com o empate na partida, o Atlético cresceu e passou a achar mais espaço para atacar. Entretanto, Rafael Moura, que substituiu o machucado Fred (panturrilha) logo aos 11 minutos, não achava espaço na defesa vascaína, que também perdeu um homem por lesão (Paulão). O ataque com Marlone e Robinho pouco brilhava. Quem conseguia arriscar algo era o venezuelano Otero. Rápido, com dribles, cavou dois amarelos no jogo. 

Depois de igualar o jogo, o Galo teve duas boas chances para a virada. Primeiro, Rafael Moura chutou em cima da zaga num rebote de cruzamento. Depois, Fábio Santos recebeu boa bola na ponta e cruzou rasteiro para a bola atravessar a pequena área e não ser tocada. 

SEGUNDO TEMPO
Diogo Giacomini não teve tempo para modificar o jeito do Atlético jogar. Mas pode ser culpado pela substituição que piorou bastante a equipe. Ao sacaro Otero e colocar Luan, deixando Marlone (vaiado) em campo, fez o ataque do Galo subir o índice de erros.

 Uma grande jogada de perigo do alvinegro foi um passe de Cazares para Rafael Moura. O pesado atacante, com dificuldades, conseguiu fazer uma boa jogada individual. Porém, ao se esforçar para vencer a marcação na corrida, fechou demais o ângulo e chutou para Martin Silva jogar para escanteio. A outra vez que assustou o gol vascaíno foi num chute venenoso do camisa 10 equatoriano. Mas 

E foi justamente num erro ofensivo, com Marlone escolhendo um cruzamento rasteiro para trás, nos pés do adversário, é que o jogo desandou de vez para o Atlético. Na recuperação, Guilherme (que entrou no lugar de Escudero) viu Fábio Santos e Yago titubearem na recuperação, o volante tirou o pé para não receber o vermelho e a bola foi cruzada para Paulinho. O garoto prodígio sub-17 tirou de Alex Silva e chutou no ângulo de Giovanni, com perfeição. Um banho de água fria num time congelado pelo momento ruim, principalmente no Horto. 

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO 1X2 VASCO

Atlético: Giovanni; Alex Silva, Jesiel, Matheus Mancini e Fábio Santos; Rafael Carioca e Yago; Marlone, Otero (Luan) e Robinho (Cazares); Fred (Rafael Moura). Técnico: Roger Machado

Vasco: Martín Silva; Gilberto, Rafael Marques, Paulão (Jomar) e Ramon; Bruno Paulista (Wellington) e Jean; Paulinho, Matheus Vital e Escudero (Guilherme); Paulo Vitor. Técnico: Milton Mendes

Gols: Paulinho, aos 13/1ºT e Yago, aos 17'/ºT e Paulinho, aos 22/2ºT
Arbitragem: Raphael Claus, auxiliado por Alex Ang Ribeiro e Tatiane Sacilotti dos Santos. Trio de São Paulo
Cartões amarelos: Yago, Alex Silva, Otero, Marlone (CAM), Escudero, Bruno Paulista, Jomar (VAS)
Público: 12.497 presentes
Renda: R$ 312.236,00

Compartilhe
Tags:
Participe do nosso grupo no whatsapp!
Comentários
ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Tapiraímg TV

Parceiros

>